Guardarei aqui as minhas experiências em Linux (coisas que funcionaram) como forma de ter um local aonde recorrer sempre que for necessário pois as vezes a memória nos atraiçoa. Aqui também serão divulgadas algumas notícias do mundo da Informática
Quinta-feira, 24 de Junho de 2010
GIMP 2.6.9 foi liberado

GIMP 2.6.9 foi liberado ontem 23, mas para quem estava à espera de novas funcionalidades pode ficar esperando porque não será desta vez (novas funcionalidades só virão com a versão 2.7).  Esta nova versão tem como destaque a resolução de alguns bugs , novas traduções para outros idiomas e actualizações.  Acho que o GIMP (GNU Image Manipulation Program) já é bastante conhecido mas para aqueles que ainda não o conhecem, trata-se de um potente programa de manipulação de imagens com características muito semelhantes ao Photoshop, com a grande vantagem do GIMP ser um programa Open Source e de distribuição gratuita. Os Sistemas Operativos baseados em Linux normalmente já vêm com o GIMP como manipulador de imagens por predefinição. Já existem binários desta versão para o Windows XP e Vista 32 bit. Ao que parece, por enquanto não existem pacotes .RPM nem .deb pelo que quem não tenha a paciência de esperar pelo pacote para o seu sistema vai ter que baixar o Código Fonte e fazer a compilação desta nova versão.

 

Página de Download

Página Oficial do GIMP



publicado por terraterra às 16:18
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 23 de Junho de 2010
Linha de Comando Linux para o Google

 

No dia 18 deste mês a Google lançou o GoogleCL a ferramenta de Linha de Comando Linux para o Google. Isto quer dizer que os amantes da linha de comando já podem efectuar várias acções no Google como sendo editar documentos no Google Doc, fazer upload de fotos no Picasa, adicionar contactos na sua Lista de Contactos , adicionar entradas no Calendário Google agendando compromissos, efectuar posts no Google Blog e por aí fora sem ter de abandonar a Consola.

 

Utilizadores Ubuntu

 

Para os utilizadores do Ubuntu 9.10 ou superior o processo da instalação é mais simples, bastando fazer o seguinte:

1- sudo apt-get install python-gdata
2- [Fazer o download do pacote .deb]
3- sudo dpkg -i googlecl*.deb

Para os utilizadores do Fedora o processo é o seguinte:

1- [root@star ~]# yum install python-gdata

2- Baixamos o pacote googlecl-x.x.x.tar.gz

 

3- Entramos na pasta onde foi feito o Download:

 

[joao@star ~]$ cd ~/Download/

4- Descompactamos o pacote:

[joao@star Download]$ tar -zxvf googlecl-0.9.7.tar.gz

5- Agora como root vamos fazer a instalação.
Entramos como root na pasta  googlecl-0.9.7 onde existe o ficheiro setup.py e digitamos o seguinte comando:

[root@star googlecl-0.9.7]# python setup.py install
Agora é só fazer os testes. Comigo funcionou no Fedora 13.


publicado por terraterra às 14:29
link do post | comentar | favorito

Domingo, 20 de Junho de 2010
Grub e problemas com o Triplo Boot

A maioria das pessoas normalmente têm instalado o Windows nos seus computadores. Iniciamos as nossas experiências com o Linux em Dual boot (Windows mais a Distro Linux que escolhemos), mas à medida que vamos tomando gosto à coisa nos aventuramos então ao triplo ou mais boot. O GRUB pode gerir para além de 150 escolhas de boot. Mas não imagino alguém instalando 150 SO (até que nem sei se existe esse número de Sistemas Operativos) O máximo que eu já tive foram seis Sistemas Operativos instalados, pelo que poderia escolher entre os 6 (Windows XP, Windows 7, Fedora, Ubuntu, Sabayon e Ubuntu Studio). Actualmente só tenho três sistemas operativos no meu computador, pois para experimentar outros sistemas há sempre essa possibilidade com o ViltualBox. O Windows só existe por cá porque existem outros utilizadores mas que aos poucos se estão habituando ao ambiente Linux.

 

O triplo Boot Windows + Fedora + Ubuntu

 

Vínhamos usando o Grub 0.97 conhecido como o Grub Legacy mas a partir do lançamento do Ubuntu 9.10 o "Karmic Koala", nalgumas distros Linux passaram a usar o GRUB 2 versão 1.96 ou superior. O Fedora ainda na versão 13 usa o grub 0.97 como default mas pode-se querendo, instalar o GRUB 2.

Para sabermos que versão do GRUB temos, usamos o comando "grub-install -v"

 

O problema que pode ocorrer quando instalamos o Fedora 13 num computador onde já exista o Ubuntu numa versão igual ou superior a 9.10 é que o Fedora reescreve o MBR (Master Boot Record) e ao instalar o GRUB 0.97 só adiciona na sua lista o Windows e não reconhece o Ubuntu no momento do boot pelo que aparentemente o Ubuntu sumiu e para quem isto lhe acontece pela primeira vez a tendência é entrar em pânico por pensar ter perdido os dados que tinha no seu Ubuntu.

 

O melhor mesmo é instalar o Fedora primeiro e em seguida instala-se o Ubuntu isto supondo que o Windows já está no computador, pois dessa forma o GRUB 2 vai reconhecer todos os sistemas já instalados no computador e no momento do Boot vai-nos dar a opção de escolha entre os vários constantes do menu.

 

No caso de já termos instalado o Ubuntu em Dual-boot com o Windows então aí podemos instalar o Fedora e depois efectuamos a recuperação do Ubuntu.

 

Recuperando o Ubuntu

 

Esta recuperação poderá ser feita com o DVD de instalação optando no menu inicial de instalação pelo Rescue an Installed System, ou então, usando o Live CD do Ubuntu desde que seja uma versão 9.10 ou superior.

 

Vamos fazer a recuperação usando o Live CD do Ubuntu

 

  1. Introduzimos o Live CD na nossa Drive de CD/DVD com o BIOS configurado para dar boot    pelo     CD, reiniciamos o computador e deixamos o sistema carregar.
  2. Devemos saber em que partições instalamos o Ubuntu, mas caso por alguma razão não o saibamos podemos correr o comando:
    sudo fdisk -l

     

    Vai-nos apresentar a nossa lista de partições, aí identificamos as partições onde se encontra o Ubuntu. No meu caso o Ubuntu se encontrava nas partições 8, 9 e 10.

     

    Já foram identificadas as partições agora vamos monta-las uma a uma no /mnt

     

  3. Vamos começar pela partição raíz que se encontra na partição 9

    Comando:

    sudo mount /dev/sda9 /mnt

     

    Vamos montar a partição boot que se encontra na partição 8

    Comando:

    sudo mount /dev/sda8 /mnt/boot

     

    Vamos montar a partição home que se encontra na partição 10

    Comando:

    sudo mount /dev/sda10 /mnt/home

     

    Agora vamos montar todas as outras partições

    Comando:

    sudo mount --bind /dev /mnt/dev

     

  4. Bem, todas as nossas partições já estão montadas agora vamos entrar como root na /mnt

    Comando:

    sudo chroot /mnt

  5. Agora vamos fazer um update do Grub

    Comando:

    update-grub

     

    Vai-nos aparecer algo assim:

     

    Generating grub.cfg ...

    Found linux image: /boot/vmlinuz-2.6.31-9-rt

    Found initrd image: /boot/initrd.img-2.6.31-9-rt

    Found memtest86+ image: /memtest86+.bin

    grep: /proc/mounts: Ficheiro ou directoria inexistente

    Cannot find list of partitions!

    done

     

  6. Agora vamos instalar o Grub

    Comando:

    grub-install /dev/sda

     

    Vamos ter em retorno algo assim:

     

    Installation finished. No error reported.

    This is the contents of the device map /boot/grub/device.map.

    Check if this is correct or not. If any of the lines is incorrect,

    fix it and re-run the script `grub-install'.

    (hd0) /dev/sda

     

  7. Já podemos sair como usuário root e passar para utilizador normal

    Comando:

    exit

     

  8. Agora vamos desmontar uma a uma todas as partições que montamos em 3

    Comando:

    a) sudo umount /mnt/dev

     

    b) sudo umount /mnt/boot

     

    c) sudo umount /mnt/home

     

    d) sudo umount /mnt

     

    Agora que desmontamos todas as partições antes montadas vamos reiniciar o nosso sistema.

  9. Premimos as teclas Ctrl+Alt+Delete ou então vamos a menu Sistema > Desligar e vai aparecer-nos uma janela de diálogo com as opções de Desligar, Reiniciar ou Mudar de Utilizador. Escolhemos a opção Reiniciar.

     

    O Computador vai reiniciar e logo no menu que aparece após o Boot só vai-nos aparecer a opção de Ubuntu mas isso não é problema, deixamos que o nosso sistema carregue e resolvemos o resto com um update do Grub.

  10. O Sistema já foi carregado, abrimos a Consola e teclamos o seguite comando:

     

    sudo update-grub

    introduzimos a nossa Senha

     

    Vai-nos aparecer algo mais ou menos assim:

     

    joao@star:~$ sudo update-grub

    [sudo] password for joao:

    Generating grub.cfg ...

    Found linux image: /boot/vmlinuz-2.6.32-21-generic

    Found initrd image: /boot/initrd.img-2.6.32-21-generic

    Found memtest86+ image: /memtest86+.bin

    Found Windows 7 (loader) on /dev/sda1

    Found Fedora release 13 (Goddard) on /dev/sda6

    done

    joao@star

     

    OK! O problema já foi resolvido, agora, logo assim que reiniciarmos o nosso computador, no menu do GRUB vão estar listados todos os nossos Sistemas Operativos existentes no nosso computador e vamos ter o nosso Triplo-boot.



publicado por terraterra às 18:57
link do post | comentar | favorito

O meu primeiro Post - uma pequena reflexão sobre o software livre em Cabo Verde

Não querendo por agora armar-me em expert em questões de software livre mas, penso que, sendo um tema actual sempre e sendo nós um país onde os recursos abundam por defeito, e num mundo globalizado, mais tarde ou mais cedo vamos ter que esbarrar na lógica dos direitos autorais e ter que pagar a alguém por uma licença de utilização de um S.O. qualquer ou de um software qualquer.

Economicamente pensando sendo que não sou nenhum economista, mas basta termos um dedo de testa para vermos que o zé povinho não vai poder viver eternamente no "Mascadjom*" eterno pois sendo Cabo Verde um País com quase meio milhão de habitantes (possivelmente mais quem sabe...) vamos ser notados com certeza e a pirataria de software existente por cá nesses lados do Atlântico médio vai ter que cessar.

Ora bem se cessar, alguém terá que pagar o preço e esse alguém é o usuário final que terá que pagar por cada licença de software que precisar de utilizar, e num pais pobre pode ser facilmente evitado, criando desde cedo nas escolas secundárias, Universidades cabo-verdianas o espírito livre que é a essência do Cabo-verdiano e esse espírito livre pode e deve ser pela adopção do software livre, como base essencial para o desenvolvimento de conhecimentos informáticos, para além de criar oportunidades de criação a curto médio prazo um SO livre baseado nas necessidades reais de um país arquipelágico.

Fazendo um exercício simples por exemplo o nosso NOSI -  poderia ser o motor dessa nova fase da economia de Cabo Verde, pois sendo um gabinete governamental com a nata das TIC de Cabo verde, já poderiam ter (não tenho conhecimentos que tenham) em forja um S.O. que sirva por exemplo para ser utilizado no programa do governo Mundu Novú, levando assim ao governo poupar milhões de contos, que seriam por exemplo na formação profissional (na área de desenvolvimento de software livre e manutenção de equipamentos com software livre instalados) de jovens para terem uma ferramenta baseada nessa filosofia, possibilitando assim os mesmos terem meios de sobrevivência (através de actividade geradora de rendimentos)...

 

Porque não ....

 

Fico  por cá sem deixar de enviar um abraço de agradecimento ao meu Amigo de luta João da Graça por me ter convidado a postar nesta ferramenta que tenho a certeza é a base em que nós todos amantes de software livre para um cabo verde 99.999999% Linux

 

 

*(termo crioulo que significa oportunismo, ou viver à custa dos outros ou do alheio)



publicado por ricardinoevora às 17:17
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Codecs Mutimédia no Fedora 13

Por Fedora não ser um producto comercial e ter como política a não inclusão de Software proprietário no seu repositório,  para escutarmos música ou vídeo que não estejam em formato open vamos ter que adicionar repositórios de terceiros a partir dos quais vamos instalar os plugins necessários  a fim de que possamos ver quase todos os tipos de vídeos e escutar mp3. Vamos adicionar os repositórios Rpm Fusion e Livna

Adicionando o Repositório Rpm Fusion:
1- Abrimos a consola em Aplicações>Ferramentas do Sistema>Consola e entramos como root.

 

su -

 

introduzimos a nossa Senha e de seguida vamos à inclusão do novo repositório.

 

2- Introduzimos o seguinte na consola (pode copiar e com o botão direito do rato clicar na Consola e seleccionar colar ou então seleccionar este comando e clicar com a rodinha do meio do rato encima da Consola):

 

rpm -Uvh http://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-stable.noarch.rpm http://download1.rpmfusion.org/nonfree/fedora/rpmfusion-nonfree-release-stable.noarch.rpm

 

Vai-nos sair algo assim na Consola:
A obter o http://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-stable.noarch.rpm
A obter o http://download1.rpmfusion.org/nonfree/fedora/rpmfusion-nonfree-release-stable.noarch.rpm
aviso: /var/tmp/rpm-tmp.sERLsw: Header V3 RSA/SHA256 Signature, key ID 8fcff4da: NOKEY
aviso: /var/tmp/rpm-tmp.L8sb4Q: Header V3 RSA/SHA256 Signature, key ID 8dc43844: NOKEY
A preparar...               ########################################### [100%]
1:rpmfusion-free-release ########################################### [ 50%]
2:rpmfusion-nonfree-relea########################################### [100%]

 

Vai aparecer uma mensagem de NOKEY, mas não se preocupe porque depois a chave será importada.

Novo comando:

 

yum update

 

 

Agora na Consola vai aparecer algo assim:

 

Loaded plugins: presto, refresh-packagekit

rpmfusion-free                                           | 2.8 kB     00:00
rpmfusion-free/primary_db                                | 304 kB     00:01
rpmfusion-free-updates                                   | 2.8 kB     00:00
rpmfusion-free-updates/primary_db                        |  50 kB     00:00
rpmfusion-nonfree                                        | 2.8 kB     00:00
rpmfusion-nonfree/primary_db                             |  97 kB     00:00
rpmfusion-nonfree-updates                                | 2.8 kB     00:00
rpmfusion-nonfree-updates/primary_db                     | 6.5 kB     00:00
Setting up Update Process
Resolving Dependencies
--> Running transaction check
---> Package rpmfusion-free-release.noarch 0:13-2 set to be updated
---> Package rpmfusion-nonfree-release.noarch 0:13-2 set to be updated
--> Finished Dependency Resolution

Dependencies Resolved

================================================================================
Package                       Arq.       Versão    Repository             Size
================================================================================
Updating:
rpmfusion-free-release        noarch     13-2      rpmfusion-free         14 k
rpmfusion-nonfree-release     noarch     13-2      rpmfusion-nonfree      14 k

Transaction Summary
================================================================================
Install       0 Package(s)
Upgrade       2 Package(s)

Total download size: 28 k
Is this ok [y/N]: Aqui teclamos y
Downloading Packages:
Setting up and reading Presto delta metadata
Processing delta metadata
Package(s) data still to download: 28 k
(1/2): rpmfusion-free-release-13-2.noarch.rpm            |  14 kB     00:00
(2/2): rpmfusion-nonfree-release-13-2.noarch.rpm         |  14 kB     00:00
--------------------------------------------------------------------------------
Total                                            23 kB/s |  28 kB     00:01
aviso: rpmts_HdrFromFdno: Header V3 RSA/SHA256 Signature, key ID 2425b284: NOKEY
rpmfusion-nonfree/gpgkey                                 | 3.4 kB     00:00 ...
Importing GPG key 0x2425B284 "RPM Fusion nonfree repository for Fedora (13) " from /etc/pki/rpm-gpg/RPM-GPG-KEY-rpmfusion-nonfree-fedora-13-i386
Is this ok [y/N]: y
warning: rpmts_HdrFromFdno: Header V3 RSA/SHA256 Signature, key ID a3780952: NOKEY
rpmfusion-free/gpgkey                                    | 3.3 kB     00:00 ...
Importing GPG key 0xA3780952 "RPM Fusion free repository for Fedora (13) " from /etc/pki/rpm-gpg/RPM-GPG-KEY-rpmfusion-free-fedora-13-i386
Is this ok [y/N]: y
Running rpm_check_debug
Running Transaction Test
Transaction Test Succeeded
Running Transaction
Warning: RPMDB altered outside of yum.
Updating       : rpmfusion-free-release-13-2.noarch                       1/4
Updating       : rpmfusion-nonfree-release-13-2.noarch                    2/4
Cleanup        : rpmfusion-nonfree-release-11-2.noarch                    3/4
Cleanup        : rpmfusion-free-release-11-2.noarch                       4/4

Updated:
rpmfusion-free-release.noarch 0:13-2  rpmfusion-nonfree-release.noarch 0:13-2

Complete!
[root@star ~]#

 

 

Adicionando o Repositório Livna


Ainda como root vamos dar o seguinte comando:

 

rpm -ivh http://rpm.livna.org/livna-release.rpm

 

 

Vai-nos aparecer algo assim:

A obter o http://rpm.livna.org/livna-release.rpm
aviso: /var/tmp/rpm-tmp.GyUw2g: Header V4 DSA/SHA1 Signature, key ID a109b1ec: NOKEY
A preparar...               ########################################### [100%]
1:livna-release          ########################################### [100%]

 

 

Importamos a chave com o seguinte comando:


rpm --import /etc/pki/rpm-gpg/RPM-GPG-KEY-livna

 

 

Bem agora que já foram adicionados os repositórios já existem condições para instalação dos Codecs Multimédia.

Instalando Codecs e Players de Vídeo e mp3

Estando como root copie e cole na Consola o seguinte:

 

yum -y install libdvdcss gstreamer-plugins-bad gstreamer-plugins-ugly mplayer mplayer-gui gecko-mediaplayer mencoder vlc banshee gstreamer-ffmpeg xmms xmms-mp3 xmms-faad2 xmms-pulse xmms-skins audacious audacious-plugins-freeworld* xine-lib-extras-freeworld  xine xine-lib-extras  totem-gstreamer totem-xine totem-nautilus totem-mozplugin totem-pl-parser totem-youtube ffmpeg ffmpeg-libs gstreamer-plugins-good compat-libstdc++-33 compat-libstdc++-296 libdvdread libdvdnav lsdvd libdvbpsi

 

 

Não se preocupe com o monte de texto que vai sair na Consola, no final estarão instalados os Codecs e Media Players para quase todos os formatos de Vídeos.

 

Adobe Flash Player

Agora vamos instalar o flash-plugin a fim de que possamos ver vídeos no YouTube por exemplo ou outros conteúdos que requeiram Flash na Internet.

 

1- Baixar o Adobe Flash Player

2- Ainda estando como root vamos entrar na pasta Download que é para onde os downloads são descarregados por pré-definição.
Comando:

cd /home/joao/Download


Neste caso pus joao porque este é o meu nome de utilizador, você poderá ter um outro nome.

3- instalar o Flash Player:
Comando:

rpm -Uvh flash-plugin-10.0.45.2-release.i386.rpm


Ou então abra a pasta Download e clique duas vezes no pacote flash-plugin e o instalador fará o resto. Pedir-te-à a Senha e procederá à instalação.

Pronto! Já podemos desfrutar dos nossos ficheiros multimédia e curtir o YouTube!

 

Documentos de apoio:

http://rpmfusion.org/Configuration

http://www.my-guides.net/en/content/view/174/26/



publicado por terraterra às 11:55
link do post | comentar | favorito

Domingo, 13 de Junho de 2010
Fedora 13 pós instalação

Após a instalação do Fedora 13 procedemos à actualização do mesmo. Entramos com o nosso computador na Internet e efectuamos a actualização do nosso sistema.

 

Configurar a Internet para entrada automática:

Clicamos no ícone do computadorzinho no painel superior

 

Seleccionamos configurar VPN

 

 

Seleccionamos a pestana Com Fios > System eth0 e clicamos em Editar

 

Aqui marcamos a caixa Ligar automaticamente e depois clicamos Aplicar

 

A actualização do sistema pode ser feita de duas formas:

1- Pelo processo Gráfico: Aqui vamos ao menu Sistema > Administração > Actualização de Software e depois é só clicar em instalar actualizações.

 

2- Pelo processo Texto: Aqui vamos ao Aplicações > Ferramentas do Sistema > Consola e vai-nos abrir uma janela onde logo após o símbolo $ digitamos su - (tem que ser assim mesmo, com o tracinho) e damos Enter.  O joao@star que aparece aqui quer dizer o seguinte: joao é o nome do utilizador (neste caso meu nome) e star é o nome do computador.

 

Isso é para que possamos entrar como root. De seguida vai-nos pedir a nossa senha e aí teclamos a senha root que criamos no momento da instalação. Não se preocupe! no momento de teclar a senha não se vê mesmo nada a ser digitado mas logo assim que a senha for digitada o teu nome de utilizador na consola mudará para root e aparecerá o símbolo # .

 

 

 

 

Agora como root inserimos o seguinte comando: yum update e damos o Enter

 

(aqui vai fazer todo o seu processo, checando o que precisa ser actualizado e de seguida aparecerá uma lista e a pergunta: Is this OK [y/N:

Neste caso teclamos y e damos Enter e então começa-se o processo de actualização. Após a conclusão da actualização, para mudar para utilizador normal é só digitar exit e dar o Enter (Só devemos entrar como root quando for estritamente necessário, pois ao estarmos como root temos imenso poder. Poder até de acabar com o sistema).

 

Para que não tenhamos a necessidade de entrar sempre como root para efectuar tarefas simples que requeiram privilégios de super usuário, podemos configurar o sudo. Configurando o sudo poderemos em determinados momentos executar tarefas que logo após concluídas voltamos automaticamente ao privilégio de usuário comum.

 

Para configurar o sudo

 

Entre como root copie e cole o seguinte na consola:

echo "$(logname) ALL=(ALL) ALL" >> /etc/sudoers
Com este comando poderá ver a inclusão do seu nome de usuário no final do ficheiro  /etc/sudoers:
tail /etc/sudoers

 

No próximo post vamos instalar os Codecs necessários para que possamos ver Vídeo e escutar mp3.



publicado por terraterra às 20:19
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 8 de Junho de 2010
Instalação do Fedora 13 (Goddard)

O Fedora 13 é a versão mais actual deste Sistema Operativo. Como habitualmente o full DVD de instalação vem com um grande número de aplicativos para todos os gostos.

O Sistema Operativo Fedora pode ser experimentado sem que seja apagado nada no computador ou efectuado alterações no teu sistema e não põe nada em risco. Pode-se testar o fedora através do Live CD, e caso goste pode então instalar o sistema a partir do teu ambiente de trabalho. Mas a forma mais interessante de experimentar este sistema é através do DVD de instalação, pois aí há a possibilidade de escolher entre um vasto número de programas. Este DVD vem com um grande número de aplicativos para fins diversos como sendo Escritório, Desenvolvimento, Científico, Educação, Gráficos, Jogos, Internet, Multimédia e um monte de acessórios.

No momento de download escolhe-se a versão de 32 ou 64 bit de acordo com a arquitectura do nosso computador. Podemos optar por baixar uma imagem Live Media (pode ser usado via CD, DVD ou USB drives bootavel, pelo que se pode experimentar antes de instalar e também serve para instalar o Fedora no Disco-Duro), pode-se baixar também a opção da edição em DVD do Fedora (esta opção contém mais Software).

Para os preparativos para a instalação recomendo a consulta dos seguintes posts:

 

Preparar-se para a instalação do Ubuntu - Parte I

Preparar-se para a instalação do Ubuntu - Parte II

Preparar-se para a instalação do Ubuntu - Parte III

Preparando-se para a instalação do Ubuntu - Parte IV

Preparando-se para a instalação do Ubuntu - Parte V

 

Requisitos do sistema:

 

Os requisitos mínimos do computador no qual se pretende instalar o Fedora 13 são:

  • Uma unidade de CD/DVD e a possibilidade de arrancar a partir desta unidade

  • Um processador de 400 MHz ou superior

  • Pelo menos 1 GB (RAM)

  • Pelo menos 10 GB de espaço no Disco-Rígido

Estas são as especificações mínimas para usar o Fedora em modo gráfico.

 

Baixe o Fedora 13

 

Então, estando tudo pronto: Iso DVD ou CD de instalação, Bios configurado para dar boot pelo CD ou DVD vamos então iniciar!

 

1- Metemos na Drive de CD/DVD o nosso media de instalação e esperamos que apareça o seguinte menu:


Aqui seleccionamos: Install a new system or upgrade an existing system

 

De seguida vai aparecer a seguinte janela na qual temos duas opções: testar ou não a integridade do media. Neste caso eu seleccionei o Skip, porque já havia feito o teste.

 

Agora vai aparecer este ecrã:

 

Clicamos em Next e agora vamos seleccionar a Língua a ser usada na instalação e Next de novo

 

Agora vamos seleccionar o tipo de teclado:


 

Tipos de dispositivos que irá implicar a instalação: Dispositivos de armazenamento básicos - Next

 

Atribui-se um nome ao computador. Você escolhe o nome!

 

Vamos seleccionar o país, e desmarcamos a caixa onde diz o relógio do sistema  utiliza UTC:

 

Vamos criar uma senha para o utilizador root (o administrador do sistema):

 

Vamos agora seleccionar o tipo de instalação que vamos fazer. Aqui temos cinco opções e de entre elas vamos escolher a instalação personalizada. Ressalvo que a instalação com a opção usar o espaço livre, é uma opção que resolve tudo automaticamente, não tendo o utilizador que se preocupar com partições. Mas a escolha de uma disposição personalizada vai-nos permitir actuar nas partições criando-as do tamanho da nossa conveniência.

 

Agora vem a fase do particionamento.

Seleccionamos o espaço livre e clicamos em Criar:


 

Partição Standard:


 

Seleccionamos aqui montar em /boot. Nesta partição vão ser instalados os ficheiros necessários para o boot do Fedora.

Vamos criar esta partição com 200 MB.

 


 


 

Outra vez clicamos em Criar:


E na caixa de diálogo que vai aparecer seleccionamos outra vez Partição Standard, clicamos em Criar, na nova janela que aparece seleccionamos no menu drop-down montar em: /home e de seguida digitamos o valor da nossa escolha e clicamos OK. Esta partição serve para o armazenamento dos ficheiros do utilizador, como sendo músicas, vídeos e documentos diversos. O tamanho da partição home depende do espaço que temos disponível e da quantidade de ficheiros que pretendemos armazenar. Penso que uma partição home com 50000 MB serve para muita coisa, isto levando em conta que são feitos backups frequentes em suportes externos. Mas também caso houver limitação de espaço pode-se criar uma /home com 10000 MB, isto depende das necessidades e disponibilidade como disse.

 

 

Agora vamos criar a partição / (partição raíz) onde serão instalados os ficheiros do sistema. Vamos atribuir o tamanho de 12000 MB, mas também, caso houver limitações de espaço pode-se atribuir um valor de 6500 MB.


 

Por último vamos fazer a partição /swap. Esta partição normalmente tem o dobro do tamanho da nossa memória RAM, e funciona como uma extensão ou complemento desta. Vamos atribuir um tamanho de 2000 MB:

 

Clicamos em OK e vai-nos aparecer uma janela como esta:

Agora clicamos em Seguinte.

 

Nesta nova caixa clicamos no botão Formatar:

 

Escolhemos a opção Gravar as alterações no disco:

 

 

Clicamos no botão Seguinte:

 

Seleccionamos o botão Personalizar agora:

 

Aqui vamos escolher o ambiente de trabalho que vamos querer usar. O Gnome já vem logo seleccionado por pré definição  e trata-se do ambiente de trabalho mais popular. Mas é sempre interessante experimentar outros ambientes pelo que pode-se seleccionar caso queira o KDE ou também o XFCE.:

 

Escolhemos as aplicações que queremos instalar

 

 

 

 

 

Após seleccionarmos os pacotes que nos interessa clicamos em Seguinte e então inicia-se o processo da instalação. Relaxe...vá tomar um café, um sumo, ou então um grogue ou uma cervejinha  porque esta fase, dependendo do número de pacotes que foi seleccionado na fase anterior pode durar 50 minutos.

 

Ao concluir a instalação aparece-nos a seguinte janela e aqui clicamos em Reiniciar:

 

 

Ao reiniciarmos o computador aparece-nos esta janela de boas vindas:

Clicamos em Avançar

 

Aparece-nos a janela de Informação da Licença:

Avançar

 

Preenche-se o campo de Utilizador e Senha e clica-se Avançar:

 

Acerta-se a Data e Hora:

 

Por último chegamos à janela do Perfil do Hardware e clicamos Terminar:

 

Fazemos o Login introduzindo a nossa Senha e pronto! já estamos no nosso ambiente de trabalho!

 

 

Ambiente de Trabalho Gnome:

 

Alguns ScreenShots do que temos por aqui no grupo de aplicações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No próximo post vamos tratar de afinar o nosso sistema. Espero que gostem!!!



publicado por terraterra às 20:13
link do post | comentar | favorito

Sábado, 5 de Junho de 2010
Fedora 13 (Goddard)

 

O Fedora 13 foi liberado em 26 de Maio. Esta versão do Fedora vem com o codinome de Goddard em homenagem ao Físico e Inventor americano Robert H. Goddard. Graças à boa vontade da CVMultimédia pude baixar a ISO do DVD de instalação (3.1 GB). Digo boa vontade da CVMultimédia porque deram um grande passo ao aumentar o plano tarifário de 5000 MB de Download para 10000 MB e com uma velocidade teórica de 128 a 2048 kb/s. Outros pacotes subiram para 15000 MB e também houve a inclusão de mais dois pacotes mais modestos cuja oferta poderá aumentar o número de utilizadores ADSL no país, isto com efeito a partir do mês de Maio passado. Confesso que com isto já dá para fazer alguma coisa, mas queremos ainda muito mais. Esperemos que com a inauguração do novo cabo submarino as coisas venham a melhorar consideravelmente tanto na velocidade como no limite de megas de download assim como nos preços. O cabo-verdiano agradece a este gesto da CVMultimédia!

 

Bem, vamos ao motivo deste post!

 

Esta versão do Fedora vem com o codinome de Goddard em homenagem ao Físico e Inventor americano Robert H. Goddard.

Acho que agora que já instalei o Fedora 13 já posso falar um pouco sobre o mesmo.

Quanto à instalação acho-a bastante intuitiva, bastando a uma pessoa recém chegada ao mundo Linux ter simplesmente uma noção de particionamento do disco para efectuar a sua instalação. O tipo de ficheiro ext4 apresenta-se como padrão (isto desde a versão 11) e também os valores em MB das partições são sugeridas automaticamente na caixa de diálogo do particionamento. Mas mesmo um potencial utilizador sem a mínima noção de particionamento pode facilmente instalar o Fedora pois existem opções de instalação que dispensam a intervenção no esquema de particionamento pela pessoa que está instalando o sistema.


 

Ao longo da instalação vi que haviam mudanças no sentido de simplificar o processo. Mas logo após a instalação no momento do bootsplash tem-se a impressão de se estar a entrar no Fedora 12, sendo que esta impressão se dissipa após o carregamento do sistema. O ambiente gráfico apresentando uns ícones com um design mais arrojado e o wallpaper (uma boa escolha) empresta uma beleza clean ao ambiente.

Também notei que as configurações de monitor que normalmente faço, desta vez apresentaram um resultado mais surpreendente. O facto é que houve uma melhoria significativa nos drivers das placas gráficas.

Com o objectivo de ter um acelerador gráfico 3D no Linux, os utilizadores vinham-se recorrendo dos drivers proprietários fornecidos pelos distribuidores das placas gráficas. Há algum tempo que a comunidade Linux vem trabalhando no sentido de oferecer uma alternativa open-source para os drivers de vídeo. Testes já vinham sendo feitos há já algum tempo, mas com o fedora 13 os resultados já se fazem sentir. Esta versão do Fedora oferece open-source drivers que suportam placas gráficas de diversos fabricantes como sendo a ATI, NVIDIA e Intel, pelo que os afeiçoados a games vão se sentir mais animados a se manterem no Linux e os indecisos devido a problemas com os seus jogos preferidos devido aos drivers anteriores, vão tendo cada vez mais motivos para se migrarem para o Linux.

Para além dos drivers open-source para as placas gráficas, de entre outras novidades destacam-se nesta nova versão a instalação automática de driver de impressão. Com isto quando uma impressora é conectada logo o Pakcagekit procura e instala o driver correspondente ao fabricante e modelo da impressora (só temos que clicar em procurar na caixa de diálogo que aparece logo após a conexão da impressora), o mesmo acontece com Scanners. Instalação automática de pacotes de idiomas, Gestão de cores para calibração de monitores e scanners, procura e instalação automática de PlugIns para reprodução multimédia (mas isto nem sempre consegue encontrar os PlugIns necessários, talvez dado a alguns não serem open-source e não irem assim de encontro à filosofia do Fedora, pelo que a instalação manual dos PlugIns para reprodução multimédia através da adição de repositórios de parceiros como sendo o RPM Fusion ainda continua sendo a melhor alternativa).

O Shotwell vem substituir o Gthumb e F-Spot como organizador e editor de foto predefinido (mas ainda quem se afeiçoou ao Gthumb e F-Spot poderão fazer a instalação dos mesmos através do repositório oficial). O Shotwell importa fotos de qualquer câmara digital suportado pelo gPhoto, usa etiquetas para organizar fotos, permite edição simples de imagens, como sendo rotação, corte, reduz os olhos vermelhos e ajusta a exposição, saturação, cores etc. Mas entretanto, para quem é um aficionado por manipulação de imagens no plano profissional há um programa de edição que é o GIMP e faz parte dos soft de edição de imagens há já muito tempo nas edições Linux.

Para se efectuar backups conta-se com a ferramenta Déjà Dup que permite fazer backups local e remoto, encriptação de segurança e compressão de dados, bem como backups programados. O Nautilus oferece a possibilidade de split, apresentando deste modo a apresentação de dois directórios lado a lado no modo split-view tornando-se desta forma mais pratica a navegação entre ficheiros. Esta funcionalidade é activada da seguinte forma: Ver > Painel Extra, ou então premindo a tecla F3.


De entre outras, estas são algumas novidades que atraíram a minha atenção. Agora vamos curtindo este enquanto aguardamos os 6 meses para o lançamento do Fedora 14, este de codinome Laughlin.



publicado por terraterra às 16:43
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
CD de Instalação
Contactos para quem vive em Cabo Verde e quer um CD de instalação Fedora, Ubuntu ou Sabayon

Ilha de São Vicente:
Contactar com: João da Graça
Ou então o Telemóvel:
+(238) 9816737

Ilha de Santo Antão
Contactar com: Ricardino Évora
Ou então o Telemóvel:
+(238) 9830660
posts recentes

Google com tradução de co...

Nova versão do Virtualbox...

Ubuntu Font Family como p...

Open Library disponibiliz...

Google inaugura loja digi...

Chegou o Google Earth 6

Jolicloud

Me apaixonei por Fedora!

Google versus Facebook

Do Google Instant ao Inst...

arquivos

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

tags

todas as tags

Download OpenOffice
links
blogs SAPO