Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Onda Linux

Guardarei aqui as minhas experiências em Linux (coisas que funcionaram) como forma de ter um local aonde recorrer sempre que for necessário pois as vezes a memória nos atraiçoa. Aqui também serão divulgadas algumas notícias do mundo da Informática

Onda Linux

Guardarei aqui as minhas experiências em Linux (coisas que funcionaram) como forma de ter um local aonde recorrer sempre que for necessário pois as vezes a memória nos atraiçoa. Aqui também serão divulgadas algumas notícias do mundo da Informática

Google TV

terraterra, 23.05.10

Já se vinha falando há muito na Google TV, muitas especulações circularam a volta mas com a subida do pano as dúvidas se dissiparam. Foi anunciada no Google I/O a Google TV, uma plataforma aberta que funde a web e a TV. “ Durante a última década, a Internet tem criado oportunidades sem precedentes para a inovação e desenvolvimento em todo o mundo, mas até agora a web tem estado ausente da sala. Com o Google TV, os consumidores vão agora ser capazes de procurar e assistir a um universo alargado de conteúdos disponíveis a partir de uma variedade de fontes, incluindo provedores de TV, a web, suas bibliotecas de conteúdos pessoais e aplicações móveis”. De certa forma já era de se esperar pois daqui a alguns anos deixará de existir a televisão, pelo menos da forma como a conhecemos hoje. Esta nova plataforma será baseada em Linux com a distro Android e correrá o navegador Google Chrome (alguém já tinha dito que o Android vinha para tomar conta dos nossos lares e parece que isto vai mesmo acontecer!).
Nomes sonantes do mundo da electrónica e software como sendo a Sony, Logitech, Intel e Adobe se juntaram ao Google anunciando suporte ao Google TV. Segundo a Google os utilizadores poderão acessar a todos os seus canais habituais de TV bem assim como desfrutar dos conteúdos disponíveis na web e aplicações com base na nuvem, incluindo conteúdos baseados em Adobe Flash e tudo a partir do conforto da sua própria sala de estar e com a mesma simplicidade como navegar na web (a Apple que se cuide!). Começo a imaginar o entrosamento da Google TV com o Youtube.

Google Wave liberado!

terraterra, 20.05.10

Google Wave, a nova forma de comunicação e colaboração apresentada pelo Google no ano passado foi liberado ontem. Isto quer dizer que as pessoas que o quiserem usar não terão necessariamente que esperar por um convite, basta acessar o wave.google.com. Muitos se sentiram defraudados com o Google Wave, as expectativas a volta do Wave eram enormes mas muitas pessoas que o experimentaram logo no inicio acabaram por deixa-lo de lado; seja porque não estavam com pachorra de explorar esta nova ferramenta, ou porque pelo facto das pessoas só a poderem usar mediante convite tenha contribuído para que houvessem menos gente com os quais se comunicar, além do facto de nos primeiros tempos do lançamento do Google Wave não haverem notificações de um novo wave, fazendo com que o utilizador só tomasse conhecimento da nova conversação quando entrasse no Google Wave. Isto foi contornado pela Google e agora já pode ser configurado para enviar notificações de novos waves à caixa de correio do utilizador, mas também há extensões que podem ser instaladas e notificam na barra do navegador logo à chegada de cada novo Wave.

 

Google I/O

terraterra, 20.05.10

Iniciou ontem Quarta-feira o evento há muito esperado: O Google I/O.

O Google I/O é uma conferência anual de desenvolvedores levado a cabo pela Google a fim de se discutir as aplicações web usando o Google e aplicações web abertas.

O evento realizado este ano em S. Francisco, com a duração de dois dias reuniu cerca de 5000 conferencistas provenientes de 66 países. Foram presenciadas demonstrações dos desenvolvedores e participação também em sessões técnicas.

No evento do ano passado foi demonstrado o potencial do HTML5.

Este ano, como muitos já esperavam, entre outras novidades anunciadas pela Google figura a liberalização do codec de vídeo VP8, produto da empresa On2 Technologies, empresa esta aquisitada pela Google há 3 meses atrás. Consta que este codec é bem mais leve que um codec proprietário o H.264 usado nos produtos da Apple. Com isto a web passa a contar com um codec de vídeo open source. Os pilares fundamentais da web estão assentes em tecnologias abertas e até hoje não havia um codec de vídeo disponível livremente pois todos os codecs de vídeo existentes eram proprietários; com este novo gesto da Google a web ficou mais rica e as possibilidades aumentaram.

 

Corrector Ortográfico para OpenOffice

terraterra, 19.05.10

O Corrector Ortográfico para OpenOffice poderá ser baixado de um dos seguintes sítios, isso dependendo da preferência de cada um:

http://extensions.services.openoffice.org/en/project/ptPTdict

http://www.broffice.org/verortografico/baixar

Sendo que a primeira se encontra na página Extensões do site OpenOffice.org e a segunda se encontra no site do Broffice.org, a versão brasileira do OpenOffice.

 

  1. Baixamos o arquivo (opção guardar)

  2. Abrimos o OpenOffice.org Writer

  3. Vamos ao menu Ferramentas > Gestor de Extensões, aí vai aparecer a janela das Extensões e nessa janela, na parte inferior, clicamos no botão adicionar e seleccionamos o arquivo que acabamos de baixar.

  4. Reiniciamos o Open Office e o Corrector Ortográfico estará pronto para funcionar.

Alternativa ao Microsoft Office

terraterra, 16.05.10

Existem várias alternativas e actualmente estão aparecendo opções com enfoque em computação na nuvem como sendo o Google Docs. Mas quando queremos instalar um pacote de escritório no nosso computador e queremos uma opção livre e com qualidade o OpenOffice.org é uma alternativa de peso que permite realizar todas as tarefas de escritório normalmente executadas em MSO e não tem problemas de compatibilidade com o Office. É um software de código aberto desde o ano 2000 e existem versões para Linux, Microsoft Windows e MacOs. O pacote usa o formato ODF (Open Document Format). O OpenOffice.org é o pacote de escritório default nas distros Linux, mas um utilizador do Windows pode baixar e instalar a versão para o seu SO e experimentar as suas potencialidades.

Entendo que para uma pessoa habituada ao Microsoft Office, logo à partida se sentirá um pouco perdida na nova interface, seja porque a interface gráfica é diferente ou então por causa da dificuldade inicial em encontrar as ferramentas as quais está habituada nos lugares onde normalmente os encontra no Office ou então porque alguns nomes são diferentes. Mas após algum tempo de uso notará que afinal pode-se mesmo fazer tudo o que de essencial a gente faz com o Microsoft Office. A suite do OpenOffice.org é constituída por: Processador de Texto, Folha de Cálculo, Base de Dados, Apresentação e Desenho. Vale a pena experimentar!

 


Processador de Texto OpenOffice.org